São Pedro do Butiá,
Clique para mostrar acesso rápido aos portais ▼
NOTÍCIAS
MÍDIA / NOTÍCIAS
Publicado em 28/06/2018 14:07:07
por Elo Marister Schneider Steffens
Sal, açúcar, gorduras: os riscos do excesso.
Visualizada por 41 pessoas.
Com o objetivo de reduzir a carga de doenças crônicas que têm aumentado no nosso País, algumas ações que visam ao melhoramento nutricional dos alimentos processados estão sendo colocadas em prática, principalmente em relação à redução de gorduras, açúcares e sódio. 
Utilizados com moderação em preparações culinárias com base em alimentos in natura ou minimamente processados esses ingredientes contribuem para diversificar e tornar mais saborosa a alimentação sem que fique nutricionalmente desbalanceada. 
Sal, açúcar, óleos e gorduras contêm alto teor de alguns nutrientes que podem ser prejudiciais à saúde, como o sódio (que é a base do sal de cozinha), o açúcar livre (presente no açúcar branco) e as gorduras saturadas (encontradas nas gorduras presentes nos queijos, na manteiga e em alguns óleos vegetais). Óleos e gorduras têm seis vezes mais calorias por grama do que o arroz, o feijão e outros grãos e vinte vezes mais do que os legumes e as verduras. O açúcar possui de cinco a dez vezes mais calorias do que a maioria das frutas.
Pesquisas comprovaram que o consumo excessivo do sódio contido no sal (a recomendação de sal não deve ultrapassar 5 g por dia (1,7 g de sódio). O consumo médio do brasileiro é de 12 g diárias) pode provocar doenças como insuficiência renal, acidentes vasculares cerebrais (AVC, ou derrame) e hipertensão. O excesso de gorduras saturadas também aumenta significativamente o risco de doenças cardíacas, entupimento das veias do coração e obesidade, enquanto o açúcar (pela população brasileira o consumo excessivo chega a 61%) pode facilitar o aparecimento de problemas que vão da cárie dentária à obesidade, diabetes até ao risco de morte cardíaca súbita. 
Em geral, o excesso desses ingredientes tem origem muito menos nos pratos feitos na cozinha de casa do que nos alimentos processados e ultra processados. Nessa categoria estão salgadinhos industriais, batata frita de pacote, maionese, bolachas e biscoitos doces e salgados, pão branco, bolos prontos, doces, chocolate e muitos outros. 
É preciso lembrar que, a não ser por expressa recomendação médica, não devemos deixar de ingerir sal, açúcar e gorduras, que são essenciais à vida. A palavra mágica é moderação, sempre, o que muitas vezes envolve mudança de hábitos.
Texto retirado do site do Ministério da Saúde.
Patricia Scher
VISA Municipal
Secretaria Municipal da Agricultura
São Pedro do Butiá
DISIPOA- Méd. Vet. Ademir Garcia